‘Afinidades afetivas’, mostra começa no dia 7 e vai até 9 de dezembro

SÃO PAULO – Com uma proposta anti-temática, a 33ª Bienal de São Paulo abre suas portas nesta sexta-feira para uma das apostas mais altas das últimas edições da mostra internacional de arte contemporânea. Batizada pelo curador-geral Gabriel Pérez-Barreiro com o nome “Afinidades afetivas”, inspirado em Goethe e Mario Pedrosa, a exposição no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque do Ibirapuera, proporciona uma experiência mais fragmentada e arejada ao visitante, ao mesmo tempo que investe na criatividade dos artistas e no poder de suas obras.

— Com isso, eu queria duas coisas — disse Pérez Barreiro, Primeiro, quebrar a ideia de uma coisa pensada de cima para baixo e ampliar o conceito de diversidade entre as obras. Depois, organizar as mostras de uma forma mais livre.

A mostra será dividida em dois grandes grupos de artistas. De um lado, estarão doze projetos individuais selecionados por Pérez-Barreiro. Do outro, sete mostras coletivas idealizadas por sete artistas-curadores convidados pelo curador-geral. As exposições individuais já haviam sido anunciadas anteriormente; a divulgação das coletivas foi completada ontem.

Entre os doze projetos individuais, três são homenagens póstumas ao guatemalteco Aníbal López (1964 – 2014), ao paraguaio Feliciano Centurión (1962 – 1996) e à brasileira Lucia Nogueira(1950 – 1998) — todos presentes em Bienais anteriores. Dos outros nove artistas, o único a exibir um corpo de trabalho histórico é Siron Franco, com a série de pinturas “Césio/Rua 57”. Os oito restantes fizeram trabalhos inéditos, sem nenhuma orientação temática.

Os sete artistas-curadores convidados, três homens e quatro mulheres, conceberam mostras coletivas com total liberdade na escolha dos artistas e na seleção das obras – a única exigência foi que incluíssem trabalhos de sua própria autoria.

— Honestamente, eu tinha outras expectativas — disse Pérez-Barreiro. — Eram artistas que eu não conhecia, precisava confiar no olhar de uma outra pessoa. No fim, eles me presentearam com sete exposições que eu quero muito ver. Foi uma experiência muito positiva.

 

Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo no Parque Ibirapuera

Curadoria: Gabriel Pérez-Barreiro

Dias e Horários: 07, 08 e 09 SET: 09:00 – 22:00