Cairei de joelhos soluçando.

Teu amor distante ficará.

Mortas as flores, sombras doentes.

Teu amor perdido ficará.

 

Noites sombrias. Ramos tão tristes.

Nuvens no céu lentas passando.

Cairei de joelhos soluçando.

Ventos de leste! Ventos soprando!

 

Morreu a amada que vai de branco.

Mãos em abandono, risos e choros,

Bêbados loucos, lobos nas matas.

 

O poeta olhando pelas vidraças.

A neve, o frio, pesando enorme a solidão.

A alma da amada passa voando.

 

 

Augusto Frederico Schmidt