Dorme em paz!

Dorme em paz! Descansa.

O silêncio é pureza e nunca assombramento.

Dorme na perfeição do teu degredo.

Abre tuas portas de ouro ao pó do meio-dia

Deixa o anjo cantar ao sol, vagos meios-dias

Deixa a fonte cantar, de águas roxas caindo.

Quem morreu foi teu Amor no alto caminho.

Dorme em paz! Que o balanço te adormeça!

 

 

Augusto Frederico Schmidt