Morador de Nova Friburgo, o artista Zé Carlos Garcia começou a selecionar pedras que tivessem alguma identificação com os rostos humanos há mais um menos um ano atrás. O resultado deste garimpo pode ser conferido na exposição ‘Do pó ao pó’, totalizando cerca de 18 peças de pedra que remetem a bustos, na Galeria do Lago – Museu da República.

 Exposição  “Do pó ao pó”

“Minha ideia é instigar o questionamento sobre os bustos de figuras consideradas importantes, mas que hoje ninguém sabe quem são. Por que devemos louvá-los?”, provoca Zé Carlos Garcia. Uma curiosidade: o Museu da República possui a maior coleção de bustos de todos os presidentes do Brasil na 1ª República.

“O trabalho do Zé Carlos Garcia promove a reflexão sobre diversas questões e simbolismos que acompanham o ser humano desde sempre. Vida e morte, permanência, deterioração, pedra e pó são algumas das instigantes propostas exploradas pelo artista visual, ao retomar sua pesquisa sobre monumentos urbanos, representados por ele como bustos em pedra sedimentar”, afirma a curadora Isabel Sanson Portella.

 

 

Exposição “Do pó ao pó”

Zé Carlos Garcia constrói “bustos” sem identidade com pedras sedimentares

Até 20 de agosto de 2017

De terça a sexta das 10 h às 12 h e das 13 h às 17 h. Sábados, domingos e feriados das 13 h às 18 h

Local: Galeria do Lago – Museu da República – Rua do Catete, 153, Catete

Entrada franca