Atraído pelo barroco, o artista argentino, que mais tarde se naturalizaria brasileiro, desembarcou em Salvador em 1965, onde desenvolveu uma trajetória profissional de sucesso. Sua primeira exposição na capital baiana – Luxo e Lixo, Lixo e Luxo -, em 1966, foi considerada a primeira mostra de arte pop realizada na Bahia e rendeu ao artista premiação na I Bienal da Bahia, naquele mesmo ano.

Exposição “Reinaldo Eckenberger – Uma poética do excesso”

A partir daí, sua poética excessiva, tributária das vanguardas dadaístas, expressionistas e surrealistas, ganhou o mundo, já tendo sido exposta em diversas galerias e museus europeus. Com 78 anos, Eckenberger realizou diversas exposições na Espanha, na Alemanha e na França, durante a década de 1970, e compõe o acervo permanentemente do Museu de Arte Bruta, em Dicy-França.

A exposição “Reinaldo Eckenberger – Uma poética do excesso” traz um panorama das diversas fases e linguagens de Eckenberger, com curadoria da jornalista e mestre em artes visuais Luciana Accioly e do poeta e editor Claudius Portugal.

Pensada como uma grande instalação que esbanja criatividade, a mostra traz mais de 500 itens, como assemblages, bonecos de panos, estofados e objetos híbridos, entre outras obras de arte, ligadas pelo conceito do excesso. Tanto na poética quanto na carreira de Reinaldo Eckenberger, o excesso é um princípio definitivo que opera em todas as fases, linguagens e suportes utilizados pelo artista. Assim, a montagem da exposição aposta no acúmulo exagerado de obras, de forma a traduzir as idéias de desmesura e desmando.

 

Exposição Reinaldo Eckenberger – Uma poética do excesso

Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Galeria 1

Endereço: Av. Alm. Barroso, 25 – Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)

Telefone: (21) 3980-3815

Entrada Franca

Data: 4 de janeiro a 5 de março de 2017

Horários: de terça-feira a domingo, das 10h às 21h

Classificação Indicativa: 16 anos

Acesso para pessoas com deficiência