Thierry Frémaux, diretor do Instituto Lumière e agora diretor-geral do Festival de Cannes, junto com o produtor, Bertrand Tavernier, lançam em circuito, documentário de uma viagem no tempo, no longa “Lumière! A Aventura Começa”. O trabalho de restauração com projeção em tela grande, oferece ao filme, uma narrativa bem cuidada, bem detalhada correspondendo de fato, a esta bela aventura. Frémaux faz o papel do professor familiarizado e apaixonado, levando o espectador bem próximo aos irmãos. É imperdível!

Considerados os pais do cinema, os inventores da Sétima Arte, junto com Georges Méliès, também francês, sendo este visto como o pai do cinema de ficção, Auguste Lumière (1862-1954) e Louis Lumière (1864-1948) nasceram em Besançon, França, ambos engenheiro, filhos de Antoine Lumière, um fotógrafo e proprietário de indústria de filmes e papéis fotográficos. Após frequentarem a escola técnica, realizaram uma série de estudos sobre os processos fotográficos na fábrica do pai, até chegarem ao Cinematógrafo.

Louis Lumière é o primeiro cineasta realizador de curtos documentários, enquanto que o seu irmão Auguste participa nas primeiras descobertas, dedicando-se posteriormente à medicina.

A partir do aperfeiçoamento do Cinetoscópio, os irmãos Lumière idealizaram o Cinematógrafo em 28 de dezembro de 1895. O aparelho – uma espécie de antepassado da atual máquina de filmar – é movido a manivela e utiliza negativos perfurados, substituindo a ação de várias máquinas fotográficas para registrar o movimento. O Cinematógrafo torna possível, também, a projeção das imagens para o público. O nome do aparelho passou a identificar, em todas as línguas, a nova arte: Ciné, Cinema, Kino.

Eden, é a primeira sala de cinema do mundo, que ainda existe, situado em La Ciotat, no sudeste da França. Uma das produções dos irmãos Lumière ocorreu em 28 de Dezembro de 1895, no Grand Café, em Paris. A saída dos operários da fábrica Lumière (1895), A chegada do Comboio à Estação (1895), O Almoço do Bebé (1895) e O mar (1895) são alguns dos filmes ali apresentados. As produções são rudimentares, em geral documentários curtos sobre a vida quotidiana, com cerca de dois minutos de projeção, filmados ao ar livre.

 

A apresentação pública do Cinematógrafo marca oficialmente o início da história do Cinema.

Mais tarde, em 1896, os irmãos Lumière promoveram a divulgação do cinematógrafo em Bombaim, Londres e Nova Iorque. Além do cinematógrafo, os irmãos também se dedicaram a outros inventos, como o autochrome ou autocromo, primeiro processo de fotografia colorida, a placa fotográfica seca, a fotografia em relevo e o cinema em relevo.

Dedicavam-se à atividade cinematográfica, produzindo alguns documentários curtos, destinados à promoção do invento, embora acreditassem que o cinematógrafo fosse apenas um instrumento científico sem futuro comercial. Casaram com duas irmãs e moravam todos na mesma mansão.

 

Colaborou: Tania Ignatiuk

Fontes diversas

 

CIRCUITO RIO de JANEIRO

“Lumière! A aventura começa” de Thierry Frémaux (França, 2016)

Documentário. O longa reúne trechos restaurados em 4K de 114 filmes dos irmãos Louis e Auguste Lumière, pioneiros do cinema. 90 minutos. Livre.

 

Zona Sul: Estação Net Botafogo 3 – 18h (exceto domingo)