Noiva, acaso és a real afogada?

És a louca do rio, noiva?

Se não é, porque cantas assim

E te enfeitas de flores

Se não és, noiva, porque morres?

Porque levam teu corpo branco

Para tão longe – noiva – para tão longe?

Se tu és a que eu conheci menina

Porque não estás dormindo sobre o meu peito, sossegada, noiva?

 

 

Augusto Frederico Schmidt.