Em 1961, a miséria de uma favela carioca estampada na capa de uma das principais revistas dos Estados Unidos provocou um embate editorial de grandes proporções, que ajuda a refletir sobre questões ainda atuais como objetividade, informação, manipulação ideológica. O Caso Flávio – O Cruzeiro x Life: Gordon Parks no Rio de Janeiro e Henri Ballot em Nova York, que ocupará a Pequena Galeria do IMS Rio a partir do dia 20 de fevereiro, reúne 15 fotografias do americano Gordon Parks feitas na Favela da Catacumba, e outras 15 do franco-brasileiro Henri Ballot registradas numa área degradada da metrópole americana, em resposta imediata à reportagem estrangeira que expôs ao mundo a pobreza encravada numa área nobre da cidade maravilhosa.

A mostra, que tem curadoria de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do IMS; de Amanda Maddox, do J. Paul Getty Museum (Los Angeles); e de Paul Roth, do Ryerson Image Centre (Toronto, Canadá), instituições co-organizadoras da exposição, em conjunto com a Gordon Parks Foundation (Nova York), reúne ainda fac-símiles da revista americana Life e da brasileira O Cruzeiro com suas respectivas reportagens, além do diário original feito por Ballot durante seu trabalho nos EUA.

Alinhada com a ideologia do governo americano no momento em que ele alertava para o perigo do crescimento da esquerda na América Latina, alimentado pela pobreza de suas populações, a Life envia Parks ao Rio com o objetivo de encontrar essa miséria. Flávio da Silva e sua família são mostrados pela revista vivendo em condições precárias. A Cruzeiro, então uma das grandes publicações brasileiras, enfrentando grandes problemas financeiros e buscando novos leitores, compra a briga e envia Ballot para documentar, em Nova York, a miséria americana. Ele acha a família Gonzalez, de imigrantes porto-riquenhos, vivendo num bolsão de pobreza perto de Wall Street, e a Cruzeiro publica a reportagem espelhando, até na mesma diagramação, a revista americana.

O embate seguiu com acusações mútuas de manipulação de conteúdo e acabou custando a Ballot a proibição de voltar ao país.

 

Serviço:

Período da exposição: Começou em 20 de fevereiro a vai até 30 de setembro de 2018

Horário: Terças a domingos e feriados (exceto segundas), das 11h às 20h.

Curadoria: The Gordon Parks Foundation

Contato: T: (21) 3284-7400

Endereço:

Instituto Moreira Salles Rio de Janeiro (IMS RJ)

Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea